No início do ano as pessoas costumam traçar metas e fazer planejamentos, repensando sua vida e costumes, e o fazem esbanjando felicidade e entusiasmo (é o que vejo por aí). Janeiro é o mês onde nossas esperanças estão renovadas, os desejos atualizados e bah, aquela velha e conhecida ansiedade aparece.

Quanto mais eu penso em metas e planejamentos, mais o meu coração acelera, minhas mãos tremem e meus olhos começam a lacrimejar. Sei que algumas pessoas funcionam melhor planejando tudo, e se isso te deixa feliz, continue. Porém isso não funciona para mim. Todo início e final de ano eu preciso lutar contra minha ansiedade e fugir dessas listas intermináveis. Como a ansiedade no final de ano é assunto para outro post, pois tem bastante assunto para falar, nesse focarei apenas no início do ano.

PLANEJAMENTOS

Por mais que eu tente, e acredite em mim quando digo que já tentei, eu não consigo planejar nem um mês, imagine 12 seguidos. Eu não sei te dizer o porquê, mas ver um mês todo planejado me dá uma sensação de esmagamento, como se eu não tivesse controle do meu dia. Parece que eu estou presa naquelas palavras e só de ver já me sinto muito cansada. E quando você planeja algo e não consegue realizar? Nossa, é muito frustrante para mim. A sensação é horrível. Me sinto diminuída como ser humano sabe!? Enfim, horrível.

PLANOS E A DEPRESSÃO

Chegou um período que apenas desisti de tentar ser essa pessoa que tem sua vida toda planejada. Cada vez que eu planejava algo e não conseguia realizar eu me frustrava mais do que eu ficava feliz quando eu de fato conseguia realizar. Então é fácil solucionar né, é apenas viver a vida sem planejar nada, sem ter nenhuma meta. Só que não. Não é tão fácil assim, pois no momento que eu parei de planejar tudo e de traçar metas eu parei de sonhar. E como, e o mais importante, porque continuar vivendo uma vida sem sonhos? Foi quando, devagar e sem eu perceber, a depressão tinha se instalado em mim de novo. Mas então o que fazer se um caminho te leva a extrema ansiedade e o outro a depressão?

Bem, precisamos encontrar um terceiro caminho entre esses dois extremos. Nossa como foi difícil enxergar isso e confesso que só agora, escrevendo esse post, a resposta me pareceu meio óbvia. Mas não irei me culpar, pois nada é óbvio no meio de uma crise de ansiedade ou de depressão. Então eu me desculpo. Mas voltando ao assunto, nem tudo precisa ser ansiedade ou depressão entende? Não precisamos planejar todo o nosso ano e nos sentir presos e ansiosos e nem precisamos largar de mão e viver sem nenhum planejamento abandonando nossos sonhos e caindo em depressão. É possível encontrar um meio termo que nos faça bem.

Concluindo, o ano é novo e o caminho também pode ser. Não somos obrigados a ser refém dessa velha ansiedade. Podemos escolher o que nos faz bem, mesmo que leve algum tempo para descobrirmos.

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *