Assim como o Janeiro Branco, a campanha do Fevereiro Roxo começou em 2014. Criada no estado de Minas Gerais, a campanha foca na conscientização e prevenção de doenças como lúpus, Alzheimer e fibromialgia, que são doenças graves que até o presente momento não possuem cura, apenas tratamento; e com esse pensamento em mente, foi criado o lema da campanha:

“Se não houver cura, que ao menos haja conforto”

LEMA DA CAMPANHA

O lema enfatiza a importância em melhorar a qualidade de vida nos portadores de doenças crônicas.

            Já em 2019, pelo estado de São Paulo foi criado o Fevereiro Laranja, que visa a conscientização da população para a Leucemia.

COMO PARTICIPAR?

Como foi dito no post anterior, essas campanhas promovem cursos, palestras, oficinas, workshops, rodas de conversa, entrevistas na mídia, entre outros. Procurando na internet você acha eventos relacionados ao tema abordado para poder participar, e se caso queira fazer algo a mais, basta colocar esse assunto em pauta em lugares que você participe, como escola, casa, igreja, redes sociais por exemplo, que já vai estar contribuindo, estimulando a conscientização das pessoas. Caso não seja possível, só o fato de você estar procurando e se educando sobre o assunto já é importante.  

JÁ OUVIU FALAR NESSAS DOENÇAS?

Agora que você já sabe do que a campanha se trata e como foi iniciada, você conhece as doenças citadas? Para começar a entender essas doenças, em primeiro lugar você precisa saber o que são doenças crônicas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) doença crônica são doenças de lento desenvolvimento e uma longa duração, podendo acompanhar a pessoa durante a vida. Normalmente os problemas persistem por período superior a seis meses e requerem tratamentos e terapias longas ou complexas.

LÚPUS

Resumidamente, lúpus é uma doença inflamatória autoimune que afeta múltiplos órgãos como a pele, articulações, rins e o cérebro. Ou seja, o próprio sistema imunológico causa a destruição dos tecidos saudáveis do corpo sem nenhuma causa conhecida até então. É uma doença séria que se não for tratada, pode levar à morte. O diagnóstico é feito através da realização de exames laboratoriais e depende da comprovação da agressão ao órgão afetado. O que se sabe até o momento é que a doença se manifesta devido à predisposição genética, ou seja, não tem como se prevenir.

FIBROMIALGIA

Com propriedade de fala, Fibromialgia, ou mais conhecida por mim como “Fibro” é uma doença reumatológica que causa dor crônica e generalizada acompanhada de fadiga, alterações de sono, perda de memória, dores nas mãos, pés e articulações e até mesmo quadros de depressão. Sem cura e sem causa conhecida, uma das dificuldades de se identificar a fibro está no seu diagnóstico, já que não tem nenhum exame que comprove essa doença e seus sintomas podem ser confundidos com estresse, mal-estar entre outros. Calma que teremos muitos posts falando sobre a fibro ainda, afinal ela não me deixa esquecer dela nem um só dia.

ALZHEIMER

De maneira breve, Alzheimer é uma doença degenerativa que provoca restrições cognitivas e perda de memória, podendo dar demência. Evoluindo de maneira gradativa, e ainda sem cura o Alzheimer causa prejuízos ao cérebro, afetando a capacidade de atenção da pessoa, seu aprendizado e convívio social. Quando diagnostica no início, é possível retardar os efeitos mais graves através de tratamento. Até o momento não há como se prevenir do Alzheimer.

LEUCEMIA

Representando a cor laranja, a Leucemia é uma doença que se inicia na medula óssea, onde o sangue é produzido. A causa da doença é a proliferação de células cancerígenas que substituiem as células saudáveis. Como prevenção podemos citar os exames de rótina. Pode ser diagnosticada através de um exame chamado mielograma, que consiste na coleta de uma pequena quantidade de medula óssea. Existe tratamento para essa doença.

CONCLUSÃO

Essa campanha nos chama atenção da importância de um diagnóstico precoce para que as pessoas possam receber um tratamento apropriado. É de suma importância estar com os exames de rotina em dia e manter uma vida saudável, assim como é importante nos educar sobre essas doenças. Pode até não ter cura, mas podemos viver melhor com elas se tivermos o tratamento adequado.

            Se cuidem!

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *